A política curricular da Educação Infantil: uma análise crítica

Autores

  • Soeli Terezinha Pereira Faculdade UNINA
  • Yara Rodrigues de la Iglesia Faculdade UNINA

DOI:

https://doi.org/10.51399/reunina.v3i2.153

Palavras-chave:

Educação infantil. Política educacional. Política curricular

Resumo

Este artigo tem como objetivo fazer uma análise crítica acerca da política curricular específica para a educação infantil, com um olhar para aspectos que influenciaram a sua construção histórica, pautada em distintas concepções, a conquista do direito à educação infantil e o seu reconhecimento enquanto uma política educacional. Realizado por meio de revisão bibliográfica e análise documental, são destacados elementos desta evolução até a definição das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, aprovadas pelo CNE no ano de 2009 e a inclusão desta etapa educacional na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), evidenciando que essa construção se deu de forma complexa mediante o movimento de elaboração das políticas curriculares no Brasil e que sofre distintas influências ao longo dos tempos

Referências

BARBOSA, Maria Carmen Silveira, & RITCHER, Sandra Regina Simonis. Campos de Experiência: uma possibilidade para interrogar o currículo. In: Finco, Daniela; BARBOSA, Maria Carmen Silveira & FARIA, Ana Lucia Goulart de (Eds.). Campos de experiências na escola da infância: contribuições italianas para inventar um currículo de Educação Infantil brasileiro (p. 185–198). Campinas:

Edies Leitura Crítica. 2015.

BARRETO, A. A educação infantil no contexto das políticas públicas. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n. 24, p. 53-65,

set./out./nov./dez, 2003.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Presidência da República. Brasília, DF. 1988.

BRASIL. Plano Decenal de Educação para Todos. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental I. Brasília: MEC, 1993. - versão atualizada, 120p.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Brasília, DF. 1996.

BRASIL. Política Nacional de Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Coordenação de Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF/COEDI, 1994.

BRASIL. Por uma política de formação do profissional de Educação Infantil. /MEC/SEF/COEDI - Brasília: MEC/SEF/DPE/COEDI, 1994.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v.

BRASIL. Resolução nº 01, de 07/04/1999. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Conselho Nacional de Educação. Brasília: CNE/CEB, 1999.

BRASIL, Lei n.º 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Presidência da República, Brasília, 2001.

BRASIL. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, 2006.

BRASIL. Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil, Ministério da Educação - Volumes 1 e 2. Secretaria de Educação Básica – Brasília

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

Pereira, S. T., & Rodrigues de la Iglesia, Y. (2022). A política curricular da Educação Infantil: uma análise crítica. Revista De Educação Da Unina, 3(2). https://doi.org/10.51399/reunina.v3i2.153

Edição

Seção

Artigo

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)