Território e cor da violência, racismo no Brasil e seus desdobramentos na escola: contribuição do pensamento de Paulo Freire no sobre a educação emancipadora das questões étnico-raciais

Autores

Palavras-chave:

Democracia racial, Educação e Emancipação, Exclusão social, População negra, Violência escolar

Resumo

Neste artigo procuramos discutir a violência escolar como eixo estrutural da exclusão das populações periféricas, em especial aquelas em que o índice de concentração da população negra é maior. Assim, tratamos da persistência do racismo no Brasil como um fator que contribui para que o problema violência seja recorrente na nossa sociedade, principalmente na escola. Para isso, primeiramente, apresentamos um estudo teórico-histórico de modo a contextualizar a relação existente entre as desigualdades raciais e as desigualdades escolares. Por conseguinte, abordamos sobre a discussão freireana como instrumento de luta contra as desigualdades. Neste trabalho reforçamos e ampliamos a discussão sobre essa problemática, tecendo, dentre outras, considerações acerca do papel da escola e da atuação docente. Portanto, nosso objeto de estudo é a violência decorrente do racismo e nosso objetivo é compreender os mecanismos de exclusão de crianças e jovens privados de direitos elementares previstos em uma “democracia”. A escola é para “todos”, mas a educação é ainda para poucos. Concluímos que o negacionismo quanto à realidade do negro representa um ponto primordial para o entendimento da violência que circunda a escola e s sua superação se coloca a partir de um ideal de emancipação.

Biografia do Autor

Viviane de Andrade Soares Sena, Universidade Federal de Ouro Preto

Possui graduação em Letras: Língua Portuguesa (2015) e mestrado em Letras: Estudos da Linguagem (2018) pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). É graduanda em Pedagogia pela UFOP. Faz parte da Associação Brasileira de Alfabetização (ABAlf). Atua como Professora de Comunicação e Linguagens na Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa. Apresenta interesse por: aquisição da escrita, texto e identidade, criança e infâncias, educação do campo.

Referências

ARROYO, M. G. Quando a violência infanto-juvenil indaga a pedagogia. Educ. Soc., Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 787-807, out. 2007.

BAKHTIN, M. [1979] Estética da criação verbal. Trad. P. Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARROS, Z. Escola, racismo e violência. In: Projeto Gênero, Raça e Cidadania no Combate à Violência nas Escolas – Caderno para Professores. NEIM/UFBA, 2005. p. 35-39.

BRITO, B.; NASCIMENTO, V. (Coord.). Negras (In) Confidências – Bullying, não. Isto é Racismo. (Mulheres Negras contribuindo com as reflexões sobre a Lei 10639/03). 1. ed. Belo Horizonte – MG: Mazza Edições, 2013.

BRASIL. Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 9 jan. 2003. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm>. Acesso em: 01 maio 2020.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP n. 003/2004 de 10 de Março de 2004. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de História e Cultura Afrobrasileira e Africana. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 maio 2004.

BRASIL. Lei n. º 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 20 dez. 1996. Disponível em: . Acesso em: 06/06/2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Brasília, 2006. BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Volume I: Introdução. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira — INEP. Nota técnica, 2015. Brasília, DF: INEP, 2016. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/informacoes_estatisticas/indicadores_educacionais/2015/nivel_socioeconomico/NOTA_TECNICA_INEP_INSE_2015.pdf>. Acesso em 31 de maio de 2020.

CHARLOT, Bernard. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, v. 4, n. 8, p. 432-443, jul./dez. 2002. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/soc/n8/n8a16.pdf>. Acesso em: 06 maio 2020.

CHARLOT, B. Prefácio. ABRAMOVAY, Miriam (Coord.). Cotidiano das escolas: entre violências. Brasília: UNESCO, 2005. p. 17-25.

DAHLBERG, L. L. et al. Relatório mundial sobre violência e saúde. Genebra, Organização Mundial da Saúde, 2002.

FERNANDES, F. A integração do negro na sociedade de classes. 3. ed. São Paulo: Ática, 1978.

FERRACINI, R. A. L. A África e sua(s) representações no livro(s) escolar(es) de Geografia no Brasil – 1890-2003. 2012. 229 f. Tese de Doutorado em Geografia Humana). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-30102012-111718/publico/2012_RosembergAparecidoLopesFerracini_VCorr.pdf>. Acessado em 06 jun. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia como prática da Liberdade Editora Paz e Terra, Rio de Janeiro - RJ 1967.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Editora Paz e Terra, Rio de Janeiro - RJ 1969.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança um Encontro com a Pedagogia do Oprimido, Nota de Ana Maria Araújo Freire, Editora Paz e Terra, São Paulo - SP 1992.

FREYRE, G. Casa-Grande & Senzala: Formação da Família Brasileira sob o Regime de Economia Patriarcal. São Paulo: Global. 2003. 48 edição.

LIRA A.; LIMA, D. M. S. A discriminação racial como forma de violência: um desafio para a educação hoje. XI Congresso Nacional de Educação, 2013. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba, 2013. Disponível em: <https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/6875_4387.pdf>. Acesso em: 25 abril 2020.

MICHAUD, Yves. A violência. São Paulo: Ática, 1989.

MULLER, T. M. P. A produção acadêmica sobre a imagem do negro no livro didático: estado do conhecimento (2003-2013). 37ª Reunião Nacional da ANPEd, 2015, UFSC – Florianópolis, 2015. Disponível em <http://37reuniao.anped.org.br/wp-content/uploads/2015/02/Trabalho-GT21-3684.pdf>. Acesso em: 07 jun. 2020.

ROSSEAU, Jean J. Discurso sobre a Origem da Desigualdade entre os Homens. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/direitos/anthist/marcos/hdh_rousseau_origem_desigualdades.pdf

SILVA, Marcelo D. da A Miséria Ideológica dos Paradigmas Educacionais Contemporâneos: os modimos do pensamento complexo. In BATISTA, Eraldo et all (orgs) Desafios de Perspectivas das Ciências Humanas na Atuação e na Formação Docente. Jundiaí-SP, Paco Editorial 2012 p. 109-126.

SILVA, M. D.; SOARES, V. A. Contrastes da violência no contexto escolar de Mariana: uma análise sobre as implicações formativas, históricas e políticas. Universidade Federal de Ouro Preto: Departamento de Educação. Relatório de Pesquisa. Ouro Preto, UFOP, 2015. 35 p.

SNYDERS, G. Escola, classe e luta de classes. Lisboa: Moraes, 1977.

SOUZA, M. J. L. O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: CASTRO, I. E. de; GOMES, P. C. da C.; CORRÊA, R. L. (Orgs). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p. 77 -116.

Downloads

Publicado

2021-09-24

Como Citar

Silva, M., & de Andrade Soares Sena, V. (2021). Território e cor da violência, racismo no Brasil e seus desdobramentos na escola: contribuição do pensamento de Paulo Freire no sobre a educação emancipadora das questões étnico-raciais. Revista De Educação Da Unina, 2(3). Recuperado de https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/71

Edição

Seção

Artigo