Revista de Educação da Unina https://revista.unina.edu.br/index.php/re <p>A <strong>Revista REUNINA</strong> tem por objetivo divulgar as pesquisas e socializar a produção acadêmica e científica da Faculdade Unina, de seu Programa de Pós-graduação, que reúne o Curso de Mestrado em Educação, o Mestrado está em processo de desenvolvimento institucional a ser credenciado e os demais e diversos Cursos de Especialização (Pós-graduação Lato Sensu), integrando a produção de conhecimentos avançados com a formação para a investigação científica dos cursos de Graduação, bem como articulando as pesquisas e práticas das atividades de Extensão Universitária. Visa ainda acolher pesquisas e estudos de outras entidades ou instituições científicas do Brasil e do Exterior, num percurso de permutas, de trocas e de orgânico intercâmbio de produções de conhecimentos e de inovações institucionais e produtivas, de práticas investigativas e de projetos de integração social.</p> <p>Editora Geral: Professora Dra. <strong><em>Yara Rodrigues de La Iglesia</em></strong></p> <p>Editor Executivo: Professor Doutor <strong><em>Eduardo Soncini Miranda</em></strong></p> pt-BR yara@unina.edu.br (Yara R. de la Iglesia) natalia.martins@unina.edu.br (Natália Figueiredo Martins) Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 OJS 3.3.0.7 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Resenha do livro - Pedagogia do Oprimido https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/76 <p>O livro Pedagogia do Oprimido foi editado pela Paz e Terra, do Rio de Janeiro, aqui no Brasil, somente em 1976, pela censura imposta pelos militares. Sua primeira publicação foi em 1968, grande parte dele foi escrito em Santiago, no Chile, nos 05 anos que Paulo freire ali viveu, exilado, sendo finalizado e publicado nos Estados Unidos. Trata-se da obra mais conhecida, senão a mais importante, de autoria do educador brasileiro Paulo Freire (1921-1997). Esta obra é considerada um dos maiores clássicos da Ciências Humanas e Sociais atuais, notadamente no campo da Educação ou da Pedagogia. Costuma-se reconhecer que a obra que buscamos resenhar é a terceira publicação de maior número de citações, no campo da Ciências Humanas e Sociais, no mundo todo, ultrapassando índices de textos clássicos de autores universalmente consagrados como Sigmund Freud (1856-1939) e Karl Marx (1818-1883). Paulo Freire tornou-se o mais importante educador contemporâneo, sem sombra de dúvidas, e provavelmente alcançou a estatura de ser considerado um dos grandes intelectuais da Ciências Humanas e Sociais contemporâneas, atuando no campo da Educação e da Cultura.</p> João Bosco Alves de Amorim, Celia Maria Nunes Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/76 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 A influência do legado Freireano na organização do trabalho pedagógico em tempos de pandemia. https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/60 <p>Este artigo aborda a experiência de organização do trabalho pedagógico na Secretaria Municipal de Educação de Pinhais/PR em tempos de pandemia, a qual foi amplamente fundamentada nos princípios Freireanos de liberdade, autonomia, dialogicidade, amorosidade, em suma, na necessidade de humanização dos processos pedagógicos em prol da construção de uma educação e de uma sociedade mais justa, equânime e inclusiva. Entendeu-se, enquanto rede municipal de ensino, que as incertezas trazidas pelo contexto da pandemia exigiriam mais do que nunca uma gestão e prática pedagógicas imbricadas pela amorosidade, pela escuta, pela troca, pelo esforço em compreender e respeitar o lugar e a perspectiva do outro, enfim, pela construção coletiva pautada na ação de todos e todas. Somente a partir desta perspectiva seria possível garantir minimamente os direitos de aprendizagem de educandas e educandos da rede municipal, os quais repentinamente se encontraram “fora” da escola, carentes das interações sociais e educacionais, menos assistidos pelo poder público. Nesse sentido, mostrou-se fundamental resgatar princípios Freireanos e democráticos, entendendo-se que os diferentes sujeitos da comunidade escolar - profissionais da educação, familiares e responsáveis, educandos e educandas - precisariam enfrentar o grande desafio de estabelecer relações ainda mais amorosas, dialógicas e inclusivas à distância, fazendo uso, em grande parte, de ferramentas de interação remota.&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> Jéssica Villanova do Nascimento, Anadir dos Reis Miranda, Eliana Nunes Maciel Bastos Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/60 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Freire e Charlot: da educação à relação com o saber https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/72 <p>O artigo analisa as categorias ontológicas e antropológicas de dois autores – Paulo Freire (1921-1997) e Bernard Charlot – explicitando as premissas de seus respectivos estudos e teorias e aproxima suas semiologias e proposições. Estudo bibliográfico-histórico, de natureza crítico-hermenêutica, que propõe aproximar os dois pensadores e integrar suas propostas educacionais na direção e considerar a escola, a mediação do professores e dinâmica da aprendizagem como dimensões da humanização e da produção social da existência humana, singular e coletiva. Explora conceitos dos dois autores como importantes elementos para a revitalização das práticas educacionais e escolares atuais.</p> Carla Roberta Sasset Zanette, Cleya Brígida Nunes Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/72 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Território e cor da violência, racismo no Brasil e seus desdobramentos na escola: contribuição do pensamento de Paulo Freire no sobre a educação emancipadora das questões étnico-raciais https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/71 <p>Neste artigo procuramos discutir a violência escolar como eixo estrutural da exclusão das populações periféricas, em especial aquelas em que o índice de concentração da população negra é maior. Assim, tratamos da persistência do racismo no Brasil como um fator que contribui para que o problema violência seja recorrente na nossa sociedade, principalmente na escola. Para isso, primeiramente, apresentamos um estudo teórico-histórico de modo a contextualizar a relação existente entre as desigualdades raciais e as desigualdades escolares. Por conseguinte, abordamos sobre a discussão freireana como instrumento de luta contra as desigualdades. Neste trabalho reforçamos e ampliamos a discussão sobre essa problemática, tecendo, dentre outras, considerações acerca do papel da escola e da atuação docente. Portanto, nosso objeto de estudo é a violência decorrente do racismo e nosso objetivo é compreender os mecanismos de exclusão de crianças e jovens privados de direitos elementares previstos em uma “democracia”. A escola é para “todos”, mas a educação é ainda para poucos. Concluímos que o negacionismo quanto à realidade do negro representa um ponto primordial para o entendimento da violência que circunda a escola e s sua superação se coloca a partir de um ideal de emancipação.</p> Mercelo Silva , Viviane de Andrade Soares Sena Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/71 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Aspectos das habilidades da compreensão leitora do aluno da EJA em regime de privação de liberdade. https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/65 <p>Sabe-se que é necessário ações efetivas para garantir a preparação do indivíduo em privação de liberdade para conviver novamente no meio social. Há várias práticas que podem ser desenvolvidas para ressocialização desse apenado. Uma delas é a leitura. Isso porque não se pode negligenciar a importância da leitura para garantir direitos, ampliar a capacidade crítica e libertação do que era para o outro que se transforma, conforme Freire (1989) afirma. Com o intuito de investigar em que nível a habilidade de leitura desses apenados se encontram, realizou-se uma pesquisa qualitativa para verificação das competências leitoras já consolidadas e não consolidadas desses indivíduos. Os contemplados foram os alunos dos 8º e 9º anos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) em situação de privação de liberdade, da Escola Estadual Padre Henrique Munáiz Puig, localizada no Presídio Regional de Montes Claros. O objetivo desse trabalho foi fazer um levantamento para identificar se esse aluno-leitor em privação de liberdade está usufruindo significativamente daquilo que se lê. A coleta dos dados foi realizada por, primeiramente, um questionário com sete perguntas pessoais, com o intuito de traçar parcialmente o perfil do pesquisado e, em seguida, realizou-se uma avaliação diagnóstica contemplando gêneros textuais variados, cujas questões basearam-se nos descritores da Matriz de Referência de Língua Portuguesa do SAEB, referente ao 9º ano do Ensino Fundamental. Este estudo foi fundamento em Freire (1996), Freire (1987), Solé (1998), Oliveira, Lúcio e Miguel (2016, Julião e Paiva (2014), Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) e Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN).</p> <p>&nbsp;</p> Elisângela Santiago Mota, Cláudia Aparecida Ferreira Machado Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/65 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Conotação formativa da linguagem em Ludwig Wittgenstein. https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/70 <p>Analisar a conotação formativa da linguagem quando travada pelo conhecimento metafísico é a meta proposta da investigação, tendo como referência a filosofia de Ludwig Wittgenstein (1889-1951). Bem sabemos, em relação ao conhecimento, desde a Grécia antiga ou medieval e, ainda hoje, grande parte dos filósofos insistem em construir um sistema de proposições universalmente válidas. Para tanto, é necessário, antes de tudo, fazer uma exposição histórica das questões epistemológicas que levaram esse filósofo a entender que a linguagem é um caminho seguro e pode oferecer uma solidez não apenas à linguagem, mas também ao trabalho da filosofia. E assim, em seguida, debruçar à demonstração das razões que nos levam a entender que as pretensões filosóficas nem sempre são legítimas como assim pensavam os tradicionais da filosofia. Digamos de passagem, nossa reflexão é trivial na esfera filosófica. Alavancado metodologicamente por uma trilha analítica, o trabalho se divide em dois momentos, o primeiro, aborda questões sobre o conhecimento metafísico e a aparente pretensão finalística de um suposto conhecimento metafísico, num segundo momento, trata-se de investigar a linguagem na dimensão dos jogos de linguagem. As fontes principais de investigação são: <em>Tractatus Logico-Philosophicus </em>(1968) e, <em>Investigações Lógicas </em>(1999).&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> José de Oliveira Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/70 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Mediação de conflitos, inclusão social e linguagem jurídica: potencialidades e superações https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/73 <p>O presente trabalho objetiva, sob a perspectiva dos direitos humanos, destacar a relevante inclusão social que pode ser alcançada com a utilização de meios eficientes de acesso à justiça. Superar problemas ligados à comunicação é fundamental para a construção de respostas conjuntas pelas partes, sendo a mediação um mecanismo eficiente para facilitar o diálogo entre pessoas em conflito. A atuação do mediador favorece falas simplificadas e, com o uso da técnica de escuta ativa, contribui para o enfrentamento&nbsp;de problemas ligados à tradicional linguagem jurídica. A utilização de uma linguagem acessível a todos é característica da mediação e colabora para superar incompreensões técnicas,&nbsp;possibilitando a participação ativa de todos na resolução de disputas.</p> Luís Henrique Bortolai, Fernanda Tartuce Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/73 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Editorial https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/78 <p>Editorial</p> Me. Leandra Felicia Martins Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/78 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Formação de professores, tecnologias educacionais e humanização nos tempos da pandemia: um dedo de prosa com Paulo Freire https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/74 César Nunes Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/74 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000 Uma Imagem da Educação https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/75 Thiago Rodrigues Copyright (c) 2021 Revista de Educação da Unina https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revista.unina.edu.br/index.php/re/article/view/75 Fri, 24 Sep 2021 00:00:00 +0000