Quem tem medo do método? Reflexões sobre metodologia de pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51399/reunina.v3i3.161

Palavras-chave:

Métodos., Pesquisa científica, Escrita acadêmica

Resumo

Este trabalho traz uma reflexão acerca das motivações que levam a etapa metodológica de pesquisas acadêmicas se tornar um “entrave” na elaboração de artigos, relatórios, projetos, trabalhos de conclusão de curso, dissertações, teses e outros documentos científicos. Seu objetivo está em propor estratégias para a elaboração de pesquisas científicas em sua etapa metodológica, destacando elementos fundamentais para a estruturação.

Biografia do Autor

Patrícia Sene de Almeida, Universidade Federal do Paraná

 

Doutoranda em Ciência Política (UFPR – Bolsista Capes, Brasil). Cientista Social e Mestra em Gestão Urbana (PUCPR). Coordenadora de Ensino e Pesquisa no CIdaPOL (UDESC). E-mail: patriciasenealmeida@gmail.com. Orcid: https://orcid.org/0000-0001-6978-7348

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

ALMEIDA, C. L. S. Hermenêutica e Dialética: Hegel na perspectiva de Gadamer. In: ALMEIDA, C. L. S; FLICKINGER, H; ROHDEN, L. (org.). Hermenêutica Filosófica: nas trilhas de Hans Georg Gadamer. 1. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2000. p. 61 - 115.

BRAGATO, Fernanda Frizzo. Para além do discurso eurocêntrico dos direitos

humanos: contribuições da descolonialidade. Novos estudos jurídicos, v. 19,

n. 1, p. 201-230, 2014

CORDEIRO, G. R.; DIAS, V. F.; MOLINA, N. L. Orientações e dicas práticas para trabalhos acadêmicos. 2.ed. Curitiba: Intersaberes, 2014.

CUNHA, A. G. Dicionário etimológico da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

FERNANDES, C. T. Como escrever um artigo científico. Florianópolis, 2002. Palestra. Disponível em: . Acesso em: 21 out. 2018.

FLORES, Joaquín Herrera. El vuelo de Anteo. Derechos humanos y crítica de

la razón liberal. Bilbao: Editorial Desclée de Brouwer, 2000.

MENEZES, Elisângela Dias. Curso de Direito Autoral. Belo Horizonte: Del Rey, 2007.

BARROS, A. J. da S.; LEHFELD, N. A. de S. Fundamentos de metodologia:

um guia para a iniciação científica. São Paulo: McGraw Hill, 1986.

BASTOS, C. L.; KELLER, V. Aprendendo a aprender: introdução à

metodologia científica. 23. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

BIANCHETTI, L.; MEKSENAS, P. (Org.). A trama do conhecimento: teoria,

método e escrita em ciência e pesquisa. São Paulo: Papirus, 2008.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 2.ed.

Petrópolis: Vozes, 2008.

COMPARATO, Fábio Konder. Fundamento dos Direitos Humanos. São Paulo:

Instituto de Estudos Avançados da USP, 1997.

CORDEIRO, G. R.; DIAS, V. F.; MOLINA, N. L. Orientações e dicas práticas

para trabalhos acadêmicos. 2. ed. Curitiba: Intersaberes, 2014.

GADAMER, H.-G. Verdade e método I: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 15. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2015

GALLARDO, Helio. Teoria crítica: Matriz e possiblidade de Direitos Humanos.

Campinas: Unesp, 2014.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

_____. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

KONDER, L. O que é dialética. 28. ed. Brasília: Editora Brasiliense, 2012.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia

científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1994.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 19 ed.

Petrópolis: Vozes, 2001.

MONTAGNER, M. A. Trajetórias e biografias: notas para uma análise

bourdieusiana. Revista Sociologias, Porto Alegre, ano 9, n. 17, p. 240-264,

jan./jun. 2007.

.

MORAES, R. A educação de professores de ciências: uma investigação da trajetória de profissionalização de bons professores. 1991. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1991.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. 1. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2007.

ORWELL, George. 1984. 29ª ed. São Paulo: Ed. Companhia Editora Nacional, 2005.

PREMEBIDA, A. et. al. Pesquisa social. Curitiba: InterSaberes, 2013.

RICHARDSON, R. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São

Paulo: Atlas, 1999.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In:

LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências

sociais. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: Colección Sur Sur, 2005.

ROHDEN, L. Filosofando com Gadamer e Platão: Movimentos, Momentos e Método(s) da Dialética. Revista Dissertatio de Filosofia, Pelotas, v. 36, s.n., p. 105-130, 2012.

RUBIO, David Sánchez. Crítica a una cultura estática y anestesiada de derechos

humanos. Por unarecuperación de las dimensiones constituyentes de la lucha

por los derechos. Revista Derechos y Libertades, n. 33, 2015.

RUIZ, Jefferson Lee de Souza. Direitos Humanos e Concepções

Contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2014.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes, In: SANTOS, Boaventura de Souza; MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do Sul ., São Paulo: Cortez 2010.

SETUBAL, A. A. Pesquisa em serviço social: utopia e realidade. São Paulo:

Cortez, 1995.

SIMKA, Sérgio. A PRODUÇÃO DO TEXTO ESCRITO NA UNIVERSIDADE: A ESCRITA COMO PROCESSO. VERBUM (ISSN 2316-3267), n. 12, p. 16-24, out.2016

SOUSA, R. S.; GALIAZZI, M. C.; SCHMIDT, E. B. Interpretações Fenomenológicas e Hermenêuticas a partir da Análise Textual Discursiva: a Compreensão em Pesquisas na Educação em Ciências. Revista Pesquisa Qualitativa, São Paulo, v. 4, n. 6, p. 311-333, dez. 2016.

Downloads

Publicado

2022-12-19

Como Citar

do Rocio Neves, A., & Sene de Almeida, P. (2022). Quem tem medo do método? Reflexões sobre metodologia de pesquisa . Revista De Educação Da Unina, 3(3). https://doi.org/10.51399/reunina.v3i3.161